11 de Outubro, 2023
Horário: 15:00
Local: Academia de Música
Cidade: Paços de Brandão

Recital de Jovens Talentos pelos Laureados dos Concursos Internacionais Paços’ Premium e Internacional Cidade do Fundão

A criação do Concurso Nacional “Paços’ Premium” pela Academia de Música de Paços de
Brandão, no ano letivo de 2006/2007, foi o culminar de um projeto educativo sustentado num enorme empenho de toda a comunidade escolar. Trata-se de um concurso inovador/precursor nesta região que conquistou de imediato uma dimensão notável, confirmada pelo excecional
nú mero de concorrentes. Desde a I edição até à última, o número de candidatos duplicou. Hoje, na sua XIV edição, este concurso constitui um excelente meio de reconhecer e valorizar publicamente o investimento diário que centenas de jovens instrumentistas fazem para aperfeiçoar a sua técnica e musicalidade. Realiza-se anualmente e os melhores talentos têm acorrido ao Paços’ Premium, abrilhantando-o com a excelência das suas interpretações, contribuindo ainda para um notório acréscimo de nível. Na XI edição, o concurso passou à esfera internacional. Entre os objetivos deste projeto figuram a promoção do intercâmbio de aprendizagens entre alunos de diversas instituições, o incentivo à conquista de novos patamares de desempenho e inerente qualificação artística, o despertar precoce de aptidões no domínio da música erudita, a democratização no acesso à Cultura pela promoção de um evento com um elevado nível de performance. O Concurso Internacional Paços’ Premium assumiu já uma marca identitária cultural e artística não só da AMPB, como do municipío de Santa Maria da Feira e da freguesia em que se insere.

 

 

Concurso Internacional Cidade do Fundão

O Concurso Internacional “Cidade do Fundão” vai na sua 20ª Edição. Começou por ser um desafio de âmbito pedagógico, idealizado por um grupo de professores da então recém-criada Academia de Música e Dança do Fundão, a nova valência da Santa Casa da Misericórdia do Fundão, cujo intuito visava, inicialmente, facultar novas experiências aos alunos de música da região, promovendo-os, divulgando o trabalho que se realizava na Academia e proporcionando- lhes contactos com alunos e professores de outras escolas de música de Portugal. Contrapondo os Concursos tradicionalmente já existentes em Portugal em meios de maior visibilidade e recursos, o Concurso do Fundão tem vindo a afirmar-se ao longo destes 17 anos de existência no plano cultural nacional e internacional; para isso tem contribuído o elevado número de concorrentes que o procuram anualmente e a qualidade dos jurados que nele fazem parte. Gradualmente e de uma forma faseada, o concurso tem vindo a abarcar diferentes variantes. Inicialmente apenas com o Piano, ao qual se foram juntando sucessivamente a Guitarra, o Violino, o Canto e neste ano de 2017, o Violoncelo. Incentivar e cultivar nos jovens o gosto pela música, foi e será sempre o apanágio deste concurso, agora de âmbito Internacional. Dar a conhecer e divulgar a música erudita de compositores portugueses, através de novos
repertórios, no nosso país e além-fronteiras, é outro dos requisitos que esteve na base da
criação deste concurso. A parceria com outras instituições semelhantes, tanto em Portugal como no estrangeiro, nomeadamente no Brasil, tem contribuído para a realização de concertos, promovendo os laureados que mais se destacaram em cada edição do Concurso Internacional “Cidade do Fundão”. Combater a rotina em prol do dinamismo cultural dos jovens continuará a ser a nossa aposta futura.

 

Jaime Pereira

Jaime Rodrigues Pereira, nascido no dia 11 de Janeiro de 2002 em ovar. Com 5 anos começou os seus estudos na Banda Filamónica Ovarense e com 10 anos ingressou no Conservatório de Música da Jobra onde participou no estágio de orquestra, com o maestro Alberto Roque. Começou com o professor de percussão Pedro Fernandes e continuou para a academia de Oliveira de Azeméis em 2015 onde completou o 5o grau. Durante o seu 4o e 5o grau (oitavo e nono ano de escolaridade) obteve o 1o lugar no escalão D nas II olimpíadas da AMOA, o 3o lugar na categoria A do 3o concurso internacional de caixa do 10o festival internacional de percussão de Tomar- Tomarimbando e o 1o lugar na categoria A do 4o concurso internacional de marimba do 11o festival internacional de percussão de Tomar- Tomarimbando festival. Também participou num estágio de orquestra em itália, a Summer Wind Band com o maestro Carlos Marques no ano de 2016 Em 2017 entrou no secundário no Conservatório de música calouste Gulbenkian (CMACG/EACMCG) com o mesmo professor até o final do curso articulado. Durante o ensino secundário frequentou várias orquestras, participou em várias masterclasses e obteve algumas premiações: -Estagio no CMACG/EACMG com o maestro Florian Donderer em 2017; -Convidado para a orquestra Lyra açoreana em 2017 com concerto para Marcelo Rebelo de Sousa no Faial e um concerto no cineteatro da ilha terceira; -1o lugar na categoria A no 4o concurso internacional de caixa do 12o festival internacional de percussão de Tomar -Tomarimbando; -15o estágio internacional da orquestra de Leiria com o maestro Jean Sébastien Béreau pelo 2o ano consecutivo; -Prémio revelação e 2o prémio na categoria B no XIII International Competition – Paços Premium; -European Youth Orcherstra Academy com o maestro Jaun Paul Reinke em 2019; – Tocou a solo com a orquestra filarmónica das beiras com o maestro Ernst Schelle, no contexto do 1o prémio do concurso interno do conservatório de música de Aveiro Calouste Gulbenkian em 2020; Em 2020 ingressou na Escola superior de artes aplicadas para licenciatura em percussão com os professores Bruno Costa e André Dias. Durante o primeiro ano de licenciatura foi premiado com o 2o Prémio na categoria D do 5a concurso internacional de vibraphone do 14o festival internacional de percussão de Tomar- Tomarimbando e durante o segundo com o 1o Prémio e prémio de Excelência na categoria A no XV international competition- Paços Premium. Em 2022 ingressou como reforço na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Já trabalhou com os professores e alguns compositores como: Kuniko Kato, Nancy Zelstman, Verónica cagigou, Vasco Ramalho, Fernando Chaib, Marco Fernandes, Jean Francois Lézé, Álvaro Cortez, Mário Teixeira,Nuno Aroso, Jeffrey Davis, Miguel Bernat, Marianna Berdnaska, Adelaide Ferriére, Jessica Porter, Michael Burrit, Daniel Bernardes, António Pinho Vargas, entre outros…

Programa

-Mirage  –  Yasuo Sueyoshi (marimba)

-A Libertação de Sísifo  –  Daniel Bernardes (vibraphone)

-Rebonds B  –  Iannis xenakis (multipercussão)

 

Veronika Taraban

Veronika Taraban iniciou os seus estudos aos 5 anos de idade e como aluna concluiu o Curso Básico Profissional de Instrumento, Curso Profissional de Instrumentista na classe da Professora Olga Proudnikova e Licenciatura na Escola Superior de Música de Lisboa na classe da Professora Tamila Kharambura onde também teve a oportunidade de estudar música de câmara com o Professor Paulo Pacheco.

Participou em vários concursos nacionais e internacionais, tendo sido distinguida com vários prémios como laureada de 1º prémio no “Prémio Jovens Músicos” na categoria de Música de Câmara – Nível Superior, Grand-Prix no “Fórum Internacional – Interpretação Musical e Pedagogia no Século XXI”, 1° prémio no Concurso Internacional de Alexey Gorohov, entre outros. Como solista apresentou-se sob a direção dos Maestros Élio Leal, Fernando Marinho, Jan Wierzba e José Eduardo Gomes. Frequentou cursos e masterclasses de aperfeiçoamento com músicos como Alissa Margulis, Gerardo Ribeiro, Igor e Vesna Gruppman, Ilya Grubert, Natália Morozova, Pavel Vernikov, Svetlana Makarova, entre outros.

Tem se apresentado em diversas salas nacionais tanto a solo como em música de câmara e atualmente é aluna de Mestrado em Ensino na Escola Superior de Música de Lisboa.

Programa

Sergei Prokofiev – Sonata para violino e piano n°1 op.80

  1. Andante assai
  2. Allegro brusco

III. Andante

  1. Allegrissimo