29 de Outubro, 2023
Horário: 17:30
Local: Europarque
Cidade: Santa Maria da Feira

Em parceria com: 

 

Sofia Escobar

A sua carreira conta já com um galardão de Melhor Actriz de Teatro Musical em Inglaterra e uma nomeação para um “Laurence Olivier”. Mas quando Sofia Escobar entrou no avião levava apenas na bagagem o sonho de ir estudar para uma das escolas mais prestigiadas de Londres: a Guildhall School of Music and Drama. Sofia Escobar vestiu, 50 anos depois da estreia de West Side Story, a pele da porto-riquenha Maria que se apaixona por Tony, antigo líder do gangue rival do seu irmão. “Foi um grande desafio não só a nível vocal mas também na representação, é um papel fantástico mas muito exigente e senti muito a pressão de ter sido escolhida para o fazer e medo de desiludir o público”, explica a actriz. Mas a critica foi unânime e a actriz portuguesa foi elogiada pelos grandes jornais londrinos e nomeada para os principais prémios do teatro britânico. Já antes de “Maria”, Sofia foi “Christine”, a personagem principal do Fantasma da Ópera. Foram meses de audições até conseguir pisar pela primeira vez o palco do West End.

 

 

Banda de Arrifana

Maestro Filipe Oliveira

A data oficial para a fundação da Banda de Música de Arrifana é de 19 Janeiro de 1803, embora exista um apontamento extraído da Junta de Freguesia de Arrifana, pelo Juiz Manuel Tavares da Costa que diz o seguinte: «Pago a música de Arrifana, reis 3$00». No entanto, o documento desapareceu e só existe a sua publicação e data 1770. O primeiro regente da Banda de Arrifana, segundo os registos existentes foi Inácio de Azevedo, nascido em 26 de Março de 1754 e falecido em 28 de Janeiro de 1836. No ano de 1924, a Banda de Música de Arrifana prosperou e afirmou-se no panorama musical tanto a nível regional como nacional. No ano de 1928, a Banda de Arrifana tomou a deliberação de se integrar na colectividade dos Bombeiros Voluntários, passando a designar-se por Banda de Música dos Bombeiros Voluntários de Arrifana. Embora integrada nos Bombeiros, as direcções são diferentes. Até 1934, a banda ensaiava em casas alugadas; em 1934, com o apoio de toda a população começou a construir a sua sede e sala de ensaios cuja inauguração oficial ocorreu em 8 de Janeiro de 1935. Em 1936 a banda contava com 32 executantes. Os primeiros estatutos oficiais datam de 25 de Janeiro de 1975. Em 1985 a banda foi reconhecida como Instituição de Utilidade Pública. Ao longo dos últimos anos, a banda tem proporcionado inúmeras actividades de enriquecimento artístico como: cursos de aperfeiçoamento de direcção que contaram com a presença de 40 maestros dividido em duas sessões, orientados por José Brito, maestro da Banda da PSP de Lisboa; organização de um curso dirigido à Banda, tendo os executante a oportunidade de trabalhar de forma mais intensa com o maestro Délio Gonçalves, chefe da Banda da Armada Portuguesa. É ainda de assinalar a presença nos ensaios do Major Jacinto Montezo, na data maestro da Banda Sinfónica da GNR de Lisboa, que pôde trabalhar com os executantes. Por último, destaca-se a presença de Paulo Gaspar, músico de jazz que transmitiu conhecimentos da sua área, ajudando assim no desenvolvimento das linguagens musicais que se praticam no seio das bandas ffilarmónicas. No presente ano, a Banda de Música recebeu Medalha de Mérito da Freguesia de Arrifana pelo trabalho desenvolvido em prol da cultura. A Banda de Música de Arrifana, tem sobre a sua alçada uma Escola de Música onde conta com uma Orquestra que desenvolve um trabalho formativo com vista a proporcionar aos jovens formas de expressão, enriquecimento pessoal e promoção da cultura.

 

Banda Musical de Santiago de Lobão

Maestro Marcelo Alves

Desde sempre que Lobão e arredores foram regiões férteis em aprendizes e amantes da música. Este facto explica a longa existência da Banda Musical S. Tiago de Lobão.

A Banda surge no início do século, contabilizado oficialmente a partir de 1916, comprovado por vários documentos (diplomas de participação, e mérito), no entanto, e embora não comprovado, sabe-se da sua existência ainda no século passado.

A Banda foi registada 62 anos após a sua formação, em 1978 na Secretaria Notarial da Feira.

Esta instituição não esteve sempre sediada em Lobão, teve uma pequena passagem por Lourosa, sendo apelidada de “Banda da Cadinha” devido à alcunha do mestre que a fundou.

Por volta de 1920, a Banda sediou-se definitivamente em Lobão, o que originou a atual designação.

Em virtude de não ter sede própria nem um lugar onde pudesse ensaiar, a Banda esteve quatro anos inativa. No ano de 1940, por iniciativa de um emigrante no Brasil, com algumas posses e muito amor pela sua terra natal, foram criadas as condições necessárias para que a Banda iniciasse uma atividade regular.

A partir de 1945, a Banda fixa-se no lugar da Igreja, numa casa alugada onde permaneceu até 1995, data na qual se transferiu para uma sede própria já com boas condições, no Centro Cultural de Lobão.

Apesar das diversas dificuldades, a Banda conseguiu um palmarés rico, do qual merece destaque a participação em vários certames musicais e culturais, em programas televisivos e radiofónicos, em festivais de música popular, estabeleceu protocolos com várias entidades como INATEL, entre outras, e foi passando pelas maiores festas e romarias de Portugal.

Atualmente, a Banda tem como Diretor Artístico o Maestro Marcelo Alves, que é também o Diretor Pedagógico da Escola de Música da Banda.

A Banda é constituída por cerca de 55 elementos, e está a passar por uma transformação humana e artística neste novo rumo e projeto que iniciamos na Banda e na Escola de Música em setembro de 2021, com esta Direção e Maestro.

O investimento na nossa escola de música de música é essencial, uma vez que tem dado resultados positivos na colocação de novos elementos no corpo musical, bem como o aperfeiçoar conhecimentos dos músicos que integram a nossa escola.

A excelente relação de amizade e profissionalismo que temos, tanto internamente, tanto com as várias entidades, permitem o continuar a trilhar um caminho de ascensão para esta instituição.

Desde 2017 que a Banda tem feito vários eventos marcantes, na sua comunidade e além território, destacando os Festivais de Bandas e Encontros Internacionais de Bandas Filarmónicas, estando já na 3a edição neste presente ano.

 

Banda Musical de Souto

Maestro Manuel Azevedo

A Banda Musical de Souto, atualmente com cerca de 60 executantes no seu corpo musical, tem-se apresentado nas festividades realizadas, sempre com cerca de 50 a 55 executantes. A banda tem mostrado sobejamente o seu valor e o seu mérito, nas várias atuações que realiza ao longo do ano.

No seu curriculum a Banda de Souto, para além das várias romarias/festividades realizadas ao longos dos vários anos de existência, destaca-se algumas atividades:

Em Outubro de 2005, no “1o Concurso Nacional de Bandas Filarmónicas Cidade de Aveiro”tendo conquistado um honroso 2o lugar.

Em Maio de 2006, no “XIII Certame de Bandas de Musica da Galícia” realizado emBoquexón.

Em Março de 2009, no Encontro de Bandas “Festival Filarmonia ao Mais Alto Nível”,realizado no Europarque de Santa Maria da Feira.

Em Julho de 2010, no “Encontro de Bandas Filarmónicas”, inseridas nas animações dasnoites de Verão da Casa da Música do Porto.

Em Agosto de 2011, fomos convidados a participar no IX Festival Internacional de Bandasde Música na Cidade de Torrevieja em Espanha.

Em Setembro de 2012, tivemos oportunidade de participar no “Encontro Ibérico de BandasFilarmónicas”, organizado pelo Conservatório de Música do Porto.

Em Julho de 2013, fomos convidados a participar no “Festival Internacional de Bandas”em Guardo na província de Palência em Espanha, organizado pela banda de música local, com quem tínhamos realizado um intercâmbio em 2012.Iniciado em 2017, a Banda de Souto tem realizado anualmente um ciclo de espetáculos musicais. Nestes espetáculos para além da orquestra composta pelos elementos que compõem o nosso corpo musical, em palco é apresentada uma coreografia de dança e acompanhamento de voz:

2017 – Musical Pop Rock:

Com a presença como convidados a Companhia Vareira – Companhia de dança do Concelho de Ovar que tem sido presença em todos os espetáculos realizados e Marta Carvalho, Cantora que participou no programa “The Voice Portugal”, tendo chegado à Gala Final.

2018 – Musical Pop Rock 2018:

Convidados a Companhia Vareira e Patrícia Teixeira, cantora que participou no programa “The Voice Portugal”, tendo chegado à Gala Final.

2019 – Musical Pop Rock 2019:

Convidados a Companhia Vareira e Sónia Batista, cantora conhecida no mundo da música como SKY, tendo gravado um álbum de temas originais.

2021 – Viagem ao Mundo do Cinema:

Convidados a Patrícia Teixeira, com quem tínhamos trabalho em 2018, Beatriz Amaral, jovem cantora com enorme talento na vertente lírica e Inês Vieira, jovem cantora do Concelho de Santa Maria da Feira. Devido às restrições impostas pela Pandemia Covid-19, não podemos contar com a presença e partilha de palco com a companhia de dança.

2022 – The Greatest Showman – Musical:Convidados a Companhia Vareira e a Patrícia Teixeira.

2023 – The Phanton of Opera – Musical:Convidados a Companhia Vareira, Beatriz Amaral e Pedro Rodrigues, cantor natural do Concelho de Santa Maria da Feira, com enorme talento e provas dadas em vários espetáculos realizados.Atualmente a Banda de Souto, é dirigida pelo Maestro Manuel Luís Azevedo, um jovem que já conta com um curriculum invejável como trompetista e do qual já tem um idêntico percurso na “batuta”, que dirige o nosso corpo musical, com uma média de idades muito jovem.

 

 

Banda do Vale

Maestro Micael Nogueira

A Banda Marcial do Vale foi fundada em 1913 pelo senhor António Gomes Oliveira. Foi conhecida como Banda do Leira, Música de Cedofeita, Música de Santa Ovaia, Banda de S. Vicente de Louredo e Banda Marcial do Vale. Todos estes nomes derivaram do lugar onde vivia o seu fundador ou do local em que a banda ensaiava.

Em 1980 foi legalmente oficializada com o nome de Associação de Cultura e Recreio da Banda Marcial do Vale – Santa Maria da Feira. O primeiro Maestro da Banda foi Rodrigo Gomes de Oliveira (1889-1918), filho do fundador.

A Banda tem sede própria e é constituída por 76 elementos, salientando-se a juventude dos executantes. Na vertente da formação, a Associação tem uma Escola de Música, estando inscritos atualmente 58 alunos. Possui ainda uma Banda Juvenil com 40 elementos.

Em novembro de 2015, participou no 2º Concurso Internacional de Bandas Filarmonia D’Ouro, realizado no Europarque, obteve o 1º lugar e 1º Prémio na 2ª Categoria da competição. Em julho de 2016, participou no III Certamen Internacional de Bandas de Música “Armónico Toro”, no qual obteve o 2º prémio na 1ª categoria. Em novembro de 2016, obteve o 5º Prémio do 3º Concurso de Bandas Filarmónicas de Braga. Em novembro de 2017 o 4º Prémio do 4º Concurso de Bandas Filarmónicas de Braga, em dezembro de 2017 o 2º Prémio do 4º Concurso Internacional de Bandas Filarmonia D’Ouro e em 23 de novembro 2019, o 5º Prémio do 6ª Concurso de Bandas Filarmónicas de Braga.

No ano de 2022, foi selecionada para a participação num dos concursos internacionais mais importantes do mundo, o Certamen Internacional de Música Vila D’Altea, onde obteve o 2º prémio.

 

Programa

Nowak: Andrew Lloyd Weber: A Symphonic Portrait

L. Bernstein (West Side Story): I Feel Pretty

Andrew Lloyd Webber (Evita): Don´t Cry for me Argentina

Nahoiro Iwai: Disney Fantasy

Andrew Lloyd Webber, Trevor Nunn (Cats): Memory

Harold Arlen (Wizard of Oz): Over the Rainbow

Hans Zimmer | arr. Eirc Rozendom: At World’s End

Renato Júnior: Tanto Mais

Renato Júnior: Agarra o Sol

Toshio Mashima: Beauty and The Beast Medley

Stephen Flaherty, Lynn Ahrens (Anastasia) : In My Dreams

Alain Boublil, Claude-Michel Schonberg (Les Misérables): I Dreamed a Dream