X

Roteiro ou Palcos

CiRAC

O CiRAC – Círculo de Recreio, Arte e Cultura de Paços de Brandão, é uma Associação Cultural e Recreativa, fundada em outubro de 1976. Fruto da ambição de um grupo de jovens, aquilo que começou como um grupo de amigos a cantar e a fazer teatro, é hoje uma associação com mais de 40 anos de história, com mais de 150 ativistas nas mais diversas áreas culturais e com mais de 1000 associados, a maioria jovem.

Atualmente a associação atua nas áreas da cultura, música, teatro, recreio e comunicação, disponibilizando as mais variadas atividades (a maioria gratuita) e ainda um vasto conjunto de eventos culturais, solidários e associativos.A associação está em constante crescimento e renovação, adaptando-se às necessidades regionais e nacionais, de forma a intensificar a sua posição como promotor da cultura para o desenvolvimento local.

 

Site – https://cirac.pt/

Academia de Música de Paços de Brandão

As origens da Academia de Música de Paços de Brandão (AMPB) remontam a 1870, data da fundação da Tuna, a “Estudantina”. Já nessa época a Tuna constituía um grande pólo dinamizador da vida cultural da região, promovendo o gosto pela Música.A Academia de Música de Paços de Brandão é um estabelecimento de ensino privado, sediado no centro de Paços de Brandão, com autonomia pedagógica e que dispõe de um Corpo Docente qualificado. Dispõe de um edifício com sede própria com uma área bruta de 4500m2 e instalações aprovadas com plano de emergência e de segurança.

 

Site – https://acadmusicapb.com/

Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira

A biblioteca municipal foi criada em 1938 e, depois de instalada em vários edifícios, encontrou o seu próprio espaço num novo edifício construído de raiz, aberto ao público a 17 de junho de 2000. Nesta data, transformou-se num espaço de ACESSO: à informação, à leitura, às tecnologias, à aprendizagem ao longo da vida, à criatividade, às artes e constituiu-se como a ágora local.

De forma a garantir o ACESSO ao maior número de cidadãos, a biblioteca promove serviços de itinerância e de proximidade através: do seu Bibliobus que serve 34 IPSS; da existência, em várias freguesias, de 5 polos e 3 pontos de acesso e da cooperação estreita com 33 Bibliotecas Escolares.

 

Site – http://www.biblioteca.cm-feira.pt/

Centro Cultural de Milheirós de Poiares

Rua da Igreja Velha
Milheirós de Poiares, 3700 738
Portugal

 

Site – http://www.jf-mpoiares.pt//

Cineteatro António Lamoso

O Cineteatro António Lamoso constitui-se como um agente de criação e produção artística transdisciplinar, e um espaço potenciador e difusor da dimensão criativa. Pretende-se que mantenha uma ação permanente na construção de hábitos de consumo de bens culturais, assim como na construção, captação e fidelização de públicos, com particular responsabilidade na formação de valores estéticos nas gerações futuras. Incorpora na sua matriz o ideário de valores, tais como identidade e território, heterogeneidade, presença e regularidade, contemporaneidade e construção. Enquanto equipamento cultural, o Cineteatro António Lamoso constitui-se como um espaço de encontro de públicos heterógenos, com uma programação regular de qualidade, representativa das manifestações criativas do nosso tempo, para o desenvolvimento da cultura.

 

Site – https://cineteatro.cm-feira.pt/

Europarque – Cidade dos Eventos

O EUROPARQUE – Cidade dos Eventos é um equipamento com mais de 20 anos de experiência no acolhimento e organização de eventos pluridisciplinares, essencialmente de âmbito corporativo, com capacidades e funcionalidades ímpares. O EUROPARQUE é um moderno centro de congressos localizado em Espargo, Santa Maria da Feira, 25 km a sul do Porto, em Portugal.Foi construído em 1995 para ser um espaço amplo capaz de receber grandes congressos, jornadas, seminários, conferências, reuniões, feiras e workshops. Esta estrutura permite a realização de vários eventos em simultâneo, sem qualquer interferência entre si.

No Europarque têm lugar, também, grandes concertos, espectáculos musicais, bailado e outras manifestações culturais. Por aqui passaram, e continuam a passar, importantes nomes da música portuguesa.

 

Site – https://www.europarque.pt

Igreja da Misericórdia de Santa Maria da Feira

Embora fundada em 1594, foi apenas em 1690 que se ergueu o atual edifício, tendo o terramoto de 1755 feito desabar a abóbada da nave, mais tarde reconstruída. De arquitetura simples, o templo foi construído segundo a tipologia chã nacional, antecedido por uma escadaria de vários patamares com uma fonte decorativa. No interior, de nave única, destaca-se a capela-mor coberta por uma abóbada em caixotões, e o retábulo-mor, um bom exemplo do barroco da época de D. Pedro II. Fazem parte do espólio da igreja duas bonitas esculturas, uma de pedra de Ançã do século XV, representando um santo bispo, e a outra, de madeira, representa uma Senhora das Dores da 2ª metade do século XVIII. Destaca-se ainda uma custódia de prata dourada, dos séculos XVII-XVIII, uma píxide, igualmente de prata dourada e da 2ª metade do século XVIII, e ainda um cálice da mesma época.

 

Site – https://allaboutportugal.pt

Igreja Seminário Passionista

Diz o povo e com razão ‘parar é morrer’. E como os Passionistas, fiéis ao carisma do seu Fundador, não querem morrer, mas sim afirmarem-se cada vez mais no fazer memória de Jesus Cristo Crucificado, «a maior e a mais maravilhosa obra do amor de Deus», procuram novas presenças em Portugal. A então Vila da Feira (hoje Santa Maria da Feira) esteve sempre muito presente no pensamento dos religiosos passionistas da altura. A razão era simples: os missionários passionistas tinham percorrido uma grande parte das paróquias do concelho da Feira, pregando missões, novenas e tríduos. Era pois muito natural que para aí se sentissem atraídos ao pensarem numa nova fundação. E assim aconteceu. Os Passionistas foram muito bem acolhidos por esta população e, pouco a pouco, se foram enraizando nestas terras de Santa Maria da Feira. A procura deste Seminário tem-se acentuado de ano para ano.

 

Site – https://feira.passionistas.pt

Museu de Santa Maria de Lamas

Popularmente apelidado de “Museu da Cortiça”, o Museu Santa Maria de Lamas (MSML) constitui um caso particular na história da museografia portuguesa do século XX. Resultante do espírito colecionista do seu fundador, o benemérito e industrial “corticeiro”, Henrique Amorim (1902 – 1977), o MSML destaca-se pela quantidade, qualidade e variedade (tipológica e temporal), do seu espólio. Um verdadeiro acervo plural, recuperado e reorganizado do ponto de vista museológico e museográfico a partir de 2004, que apresenta coleções de Arte Sacra, Estatuária Portuguesa, Etnografia, Ciências Naturais, Escultura em Cortiça/aglomerado de Cortiça e Arqueologia industrial. Destaque-se esta última coleção que além de evidenciar as potencialidades desta matéria-prima, reflete a identidade da comunidade local e constitui uma verdadeira herança cultural que o MSML visa conservar, estudar, difundir e valorizar de forma integral.

 

Site –https://museu.colegiodelamas.com

Praça Dr. Gaspar Moreira

Gaspar Alves Moreira (1870-1937), advogado, foi presidente da Câmara Municipal e administrador do Concelho durante vários anos. Foi responsável pela instalação de serviços telefónicos, mandou construir o Matadouro Municipal e as Casas dos Magistrados e remodelar os Paços do Concelho, e debateu-se pela integridade do Concelho e da Comarca da Feira. A sul da praça, o edifício da Câmara Nova, da autoria do arquiteto Alfredo Viana de Lima. E na parede do edifício da Câmara “velha” a escultura em cortiça de Vhils, baseada na série Diorama, ligada à indústria corticeira. A peça explora a justaposição entre a entidade social e cultural do indivíduo e o meio industrial onde exerce a sua atividade, refletindo também sobre o papel da indústria na economia. Na escadaria do anfiteatro, escultura em bronze de Baltazar de Oliveira, em homenagem ao Fado das Fogaceiras, da autoria de Paulo Sá. As Fogaceiras, uma festa que se realiza anualmente no dia 20 de janeiro, feriado municipal e que tem como principal protagonista a Fogaça, enquanto oferenda sagrada e voto devocional ao Mártir S. Sebastião, pela graça concedida de livrar o povo feirense da peste, da morte e da guerra já em tempos medievais.

 

Site – http://visitfeira.travel